Quem nunca falhou uma promessa? Ou viu um sonho antigo morrer? Quem nunca tremeu de medo?

Quem nunca falhou uma promessa? 

Ou viu um sonho antigo morrer?

Quem nunca tremeu de medo?

Ou para chorar teve que se esconder?

Quem nunca errou descaradamente?

Ou falou o que não devia falar?

Quem nunca usou máscaras

Para as fraquezas internas disfarçar?

No fundo somos todos tão parecidos

Cheios de idéias boas que chamamos intenções

Mas quando as coisas correm mal

Nunca são boas o bastante as razões

Passamos tanto tempo costurando fantasias

Dependendo do falível sentimento

Acreditando em palavras tão banais

E que logo serão dispersas ao vento

Sempre dispostos a aceitar o doce da vida

A felicidade, o sucesso, a alegria

Mas recusando fortemente o amargo

E a cada injustiça levantando porfia

Se somos tão semelhantes em quase tudo

É por causa daquele que nos criou

Fez-nos à sua imagem

Corpo, Alma e Espírito Ele juntou

E se tantas coisas sofremos

Nesta lida dura e terreal

É que quase sempre esquecemos

Nossa costela celestial

Para e pensa estão, meu irmão

Nossa raça não tem outra solução

Ou buscamos a Deus de verdade

Ou só nos resta dissolução

Não te queixes da Vida

Pare de reclamar em vão

Alça a alma em oração reconhecida

Entrega a Deus o caminho, e o coração

Joed Venturini