Nossa diretoria é integral e exclusivamente voluntária, pois acreditamos como sereshumanos e pais, que o FAZER já é paga

Para quem não sabe, estou à frente de duas organizações de direitos das pessoas com deficiência. Dou suporte à entidade nacional como relações públicas e apóio uma terceira entidade de Ribeirão Preto no tocante à auto-defensoria, além de participar de grupos de estudos sobre direitos humanos e colaborar com portal sobre síndrome de Down de Brasília, DF.

 Vejam, mesmo com todo esse aporte, nada se consegue sem parcerias. E delas todos precisamos desde o nascimento, em qualquer âmbito. Na família, temos o respaldo emocional e prático. No trabalho, o respaldo profissional e a remuneração, e assim vai. Quero relatar a dificuldade de conseguir parcerias pelo fato das Ongs estarem desacreditadas. E vou além, ocasionada não somente por fraudes delatadas mas também (e creio que ainda mais) pelo individualismo!

 Nossa diretoria é integral e exclusivamente voluntária, pois acreditamos como sereshumanos e pais, que o FAZER já é paga.Estender a mão ao próximo é oportunidade, é privilégio. E na do voluntariado, do terceiro setor, quanto mais se divide, mais se multiplica. Quanto mais se doa, mais se soma.

 Difícil?

 Temos que mudar conceitos, mudar nossa mentalidade. O individualismo corrompe, destrói, isola. Nossa proposta vai aquém de qualquer vaidade.

O humilde é rico de caráter e entender que ninguém é melhor que ningém, liberta. Expõe a beleza da diversidade, da vida.

 Organizações sérias contam com a ajuda da sociedade para sobreviver e realizar projetos que o Estado não dá conta.

Não podemos deixar discriminar. Não podemos deixar morrer. É gente como a gente!

 Bebê com síndrome de Down é bebê. Criança com paralisia cerebral é criança. Adulto de cadeira de rodas é cidadão.

Fechamos os olhos do preconceito ao dar bom dia, ao dar uma aula, ao dia-a-dia já tão sofrido para todos, com e sem deficiência aparente.

 São pessoas de direito e merecedoras de dignidad tanto quanto qualquer outra. Faça sua parte.(Sheyla Dutra é presidente FADA)