“Sejam santos, porque eu sou santo”

“Se um bloco de ferro bruto jogado numa ferraria pudesse falar, certamente diria o seguinte: ‘Sou escuro, sou frio, sou duro’. Tudo isso é perfeitamente correto. Mas coloque este mesmo pedaço de ferro no fogo e espere. Observe como ele começa a mudar. O fogo manifesta o seu poder no ferro. Agora, cheio de admiração, ele teria de dizer: ‘A escuridão, a frieza e a dureza desapareceram! Estou completamente transformado. Agora sou vermelho e brilhante ao invés de escuro; estou incandescente ao invés de frio; sou moldável ao invés de duro. Tornei-me útil para aquilo que fui destinado’. Será que o ferro exaltaria a si mesmos? Não, ele exaltaria o fogo por meio do qual ele foi totalmente transformado. Assim também a índole do ser humano está por natureza escurecida, fria e dura. Mas quando o Senhor o toca com sua interferência divina, o sangue de Jesus o purifica e o amor de Deus o preenche, então desaparece tudo aquilo que é de sua natureza. Todavia, a glória não cabe à pessoa, mas ao Senhor”.

“Assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem. (1Pe 1.15)”.

Que bela descrição para o versículo em destaque! Quando a nossa vida é consagrada a Jesus, ela é transformada pelo seu poder. É um processo pelo qual Deus nos torna santos. A exemplo do ferro, isso não acontece por nós mesmo, mas é resultado do poder do Senhor em nossa vida. À medida que nos consagramos e deixamos que ele inunde a nossa vida com a sua vontade e sua santidade, ele vai nos tornar um “ferro incandescente”. A frieza do nosso coração dá lugar ao calor do amor de Jesus. As manchas escuras causadas por nossa vida sem Deus dão lugar ao brilho de uma vida santificada. A dureza de nosso coração orgulhoso cede e deixamo-nos moldar pelo Espírito de Deus. Este é o processo divino para nos tornar santos. Deixe Jesus arder em sua vida, e você será santificado!